quinta-feira, setembro 02, 2010

O náufrago e a serpente 12

Por vezes o náufrago começa a reparar o farol, lembrava então os cheiros da sua terra natal. Porém logo lhe dava a preguiça e voltava aos prazeres breves mas intensos. Já não se lembrava de mais objectos, sensações ou emoções para exigir à serpente.  

Nenhum comentário: