terça-feira, setembro 06, 2005


O retrato

Podia fazer teu retrato
Captar tua expressão
Teu sorriso, tua boca
Teu cabelo gracioso
Teu ar alegre, jocoso
Tuas formas, tua sombras,
Os teus ombros, teus sinais
Teus olhos ónix, fatais.
Misturava bem as tintas
Preparava a terebentina
O cicativo e os pincéis,
Maculava a tela virgem
Com pinceladas precisas, fiéis.
Teria assim no final
Uma imagem material
Para disfrutar com prazer
E pendurar no salão.
Mas a pele, a vibração
A graça e a energia
A ternura e o calor,
Mais essa tua alquimia,
Para apanhar tudo isso
Só se fora um grande pintor.
Sou amador sem talento
Falharia na tarefa.
Renuncio então à obra
Prefiro o modelo ao quadro
E quando o modelo é ausência
Cinjo-me ao virtual:
Chega-me a minha memória
Que é o retrato exacto
Fiel e original
Do meu amor que é real.

3 comentários:

Anônimo disse...

j'essaie de traduire les mots que peux inspirer ce dessin , c'est une femme volupteuse qui a des formes et qui sent la douceur
superbes dessins
laura

El siervo disse...

Realmente bello, me gusta muchisimo tanto el escrito como el trabajo que has hecho.

Felicidades.

Anônimo disse...

é visível e sentido...consegue transmitir, o amor que sente