sexta-feira, abril 07, 2006


Vive

Vive só no presente e usa a ciência de sentir,
que não é ciência nenhuma.
As coisas são o que são, o tempo não é medida.

Ninguém tem régua e compasso das coisas.
Assim, só fica a marca dos sapatos na areia,

o fumo do charuto no ar,
o vapor do abstinto na sala
o aroma do café na manhã

e o sabor de cada beijo.

Um comentário:

misha disse...

i continue to petition to write at least a few in english so that this canadian can understand. haha.

your art, however, transcends language.